Orgulho de ser familiar!


Na sociedade norte-americana, você dizer que é sócio de uma empresa familiar é motivo de orgulho, de diferencial competitivo, de segurança. Na Europa, famílias empreendedoras comemoram o fato de suas empresas existirem há mais de 400 anos. Mas no nosso país infelizmente existe um preconceito de que empresa familiar é essencialmente amadora e precisa ser “profissionalizada”.

Vamos à raiz da questão. Profissionalização significa tratar algo de forma competente, com maestria, encarar uma ação na perfeição da sua execução.

Partindo desta definição, pode-se concluir que qualquer empreendimento humano deve ser encarado de forma profissional. Ou você não quer que o motorista do ônibus seja um profissional? Ou o médico cirurgião? Ou o engraxate? Essa é a questão: tudo, inclusive as empresas familiares, tem que ser gerido de forma profissional.

Assim, uma empresa ser administrada por seu fundador ou seus familiares não é um problema, desde que esses entendam o que torna a empresa competitiva e próspera e busquem as competências necessárias para a gestão através do próprio aperfeiçoamento ou contratação de gestores para ajuda-los nas demandas da empresa.

O que podemos afirmar é que não existe receita para o sucesso, mas os exemplos de empresas familiares bem sucedidas falam por si: todas tem uma gestão profissional.

Olhe ao seu redor e encontrará diversos casos. Aqui no estado temos o Grupo G. Trigueiro, gerido pelo casal Gilvan e Rejane e seus filhos Beatriz e Gilvan Neto. Tem também empresas como O Borrachão, Rei dos Colchões, Camarões, Nordestão… são milhares de bons exemplos de empresas familiares de sucesso.

Quer mais? Você sabia que o nosso país tem 14 das maiores empresas familiares do mundo? Gerdau, Porto Seguro ou Itaú são alguns desses exemplos. E que tal sua empresa entrar neste rol? Para isto comece a olhar os bons exemplos e ter orgulho de sua empresa familiar.


Semio Timeni (MBA e MSc.) é Advogado e Fundador da TIMENI Consultoria Empresarial

Tags:, , ,