Preparação, a chave para uma boa sucessão


Falir, quebrar, fechar… nenhum empreendedor quer isso para sua empresa. Muito menos um fundador em relação ao seu legado. Num país onde as empresas familiares representam um importante papel na economia, e que tem na sua imensa maioria empresas em primeira geração, muito precisa ser feito para criar dentro dessas empresas um ambiente fértil para um bem sucedido processo de sucessão para a próxima geração de gestores.

Preparação é a chave do sucesso. E aqui a palavra tem duas ênfases.

Preparação como processo de aprontar algo para um serviço, como os jogadores de uma seleção se preparam para a conquista ou como um sucessor se prepara com as competências necessárias para bem servir a empresa quando chamado à missão. Destaque-se que o sucessor enfrentará sempre um ambiente de negócios mais competitivo, dinâmico, plural. Natural pela evolução no tempo. Quanto mais os anos passam, mais é exigido dos gestores das empresas.

Ainda nessa ênfase, a preparação precisa estar ligada às demandas da empresa (quais as necessidades daquela função ou cargo?) e às vocações do herdeiro, pois este precisa gostar daquilo que irá realizar. Nunca é demais lembrar as três dimensões da empresa familiar: família, empresa e patrimônio. Se um herdeiro não se identifica na gestão da empresa, ele ainda pode ocupar um importante papel como sócio, na missão de prosperar o patrimônio herdado.

E qual a segunda ênfase de preparação? É o ato ou ação preliminar para a efetuação de qualquer coisa, é o planejamento. Aí cabe ao fundador, líder maior da empresa, tomar a decisão de preparar sua empresa para quando ele se afastar do dia a dia.

Quando deve começar essa preparação? O quanto antes! Por exemplo, identificar as necessidades e treinar as competências dos novos líderes demanda anos. Ter um planejamento das competências necessárias para seu negócio prosperar, preparando seus sucessores para se tornarem bons líderes do seu legado, é uma das maiores e melhores missões de um fundador.

Tags:, , , ,